domingo, 24 de maio de 2015

Estarei aqui,
mesmo que o lugar que reservei não seja de grande importância,
mas não causará feridas,
ainda que pequeno e discreto,
será seu,
pelo que é. Pelo que ama e por como sabe amar.

Estarei aqui,
de qualquer forma sempre há um cantinho para se esconder
e tenho um cantinho pequeno, mas confiável e caloroso,
onde a angústia não poderá entrar
porque as portas estarão seladas com carinho,
confiança e alegria.

Os lugares incríveis poderão te trazer milhares de coisas,
histórias, lembranças, amores, dores, ausências,
certezas, mentiras...
mas o cantinho te trará apenas abraços sem destino,
sorrisos sem motivo,
carinho sem desejo
e desejo de que seja feliz;
feliz porque ama e sabe amar,
ainda que longe, ainda que ferida, ainda sem forças pra mais nada,
há em você algo que ninguém jamais irá tirar,
por maior que seja,
por mais forte que seja,
por mais longe que fique.
Há quem ama você,
simplesmente por amar,
mesmo que seja um amor infinito,
ou um pequenininho, quase invisível,
há quem fique feliz apenas com o seu ‘oi’,
há um lugar para você,
um lugar grande e lindo,
e eu tenho um pedacinho dele...

Estarei aqui,
pode vir.  


À minha querida amiga Sane...

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Não me deixe só por muito tempo
que eu perco a capacidade de poder controlar as minhas ideias
e os pensamentos fluem numa velocidade desconhecida
e todos chegam,
e todos falam,
e todos se calam
e o silêncio fala tão mais alto que eu
que é preciso gritar sem voz para entender o doce perfume da solidão
que alimenta a alma das palavras
e me dá mais do que desejos,
me dá insanidade
e essa insanidade alimenta minhas palavras
que correm feito fantasmas ao meu lado
de pés descalços
roçando o sussurrar do chão
e arranhando seu barulho aos meus ouvidos.
Não me deixe só por muito tempo
porque o limite das minhas criações se perdem
e me recuo dentro das minhas próprias verdades
sem linhas que guiem
sem estradas
sem destino
apenas eu e um mundo que ninguém viu
e um mundo que todos veem, pra que eu possa tirar do lugar.
Não me deixe só por muito tempo
porque irá pensar que estou louco
mas minhas mãos que balançam
são tudo que você não conhece.
Não me deixe só por muito tempo
porque não gosto muito da genialidade dos pensamentos,
gosto do sabor dos sorrisos
gosto do cheiro da pele
gosto do som da sua voz...
não me deixe só por muito tempo
porque não posso controlar  as minhas palavras

e elas me tirarão de você...

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Quando a coragem falta
a ousadia toma conta e nos faz olhar mais longe,
e quando a ousadia não basta
a verdade nos aponta os caminhos mais obscuros
que só são assim aos que possuem os olhos fechados;
e quando a verdade ainda nos vê parados,
é hora do vento arrastar nossas asas
ao inevitável abismo
onde tudo não é visto
e só podemos enxergar o cheiro da queda
que nos liberta do tempo e de tudo que aprendemos com ele;
e somos taxados de loucos, insanos, perdidos
quando estamos apenas olhando em nossos olhos
e vendo que o amor não pertence
ele vai, se liberta, toca, percebe, escuta, muda, evolui
e ao lado dele caminha nossa vida
cheia de lembranças
que valem mais do que as conquistas.
Venha, abrace o tempo que não existe,
se ponha do lado inevitável da vida,
seja livre
viva
seja feliz.
Venha
Corra sem razões para se calçar
ou cobrir seus desejos
porque a vida é exclusivamente sua.
Venha
o tempo não passa,
apenas nos convida a beijar a eternidade
e de eternidade somos plenos.
Venha
porque sim, o beijo da arte é inesquecível.



À minha amiga Daniele Reis 

terça-feira, 19 de maio de 2015

mudo

estou mudo?
parece que estou.
não sabia que conseguia ficar mudo
mas a única coisa que não consigo é ficar sem palavras
nem ao morrer ficarei sem palavras

não me ame
não cuide de mim
não me odeie
não me dê vinhos ou chocolate
não tente me matar
não fale comigo
não me ouça
não acredite nem duvide
não creia
não tema
não fuja nem fique junto
não me seja leal
nem desleal
não me abandone
não diga que é eterno
não diga adeus
mas também não permaneça
apenas leia as minhas palavras
que são o inevitável sobre mim.

posso estar mudo
posso estar morto
posso estar perdido
posso estar confuso
posso estar de qualquer forma
mas sempre estarei escrevendo
por que de mim restam eternamente palavras
e palavras são uma companhia inegável
aos que é negado todo o resto

apenas estou aqui
apenas leia as minhas palavras
nada mais importa agora e jamais importará
de tudo que fica
não levo nada
somente memória do que sei vai
se esvai
e não possuo

não fui feito pra eternidades
por isso cuspo palavras eternas
algo deve ficar de mim

não fui gabaritado para sentimentos imortais
tudo deve acabar em palavras
e assim permanecerá
em algum lugar
que não seja dentro de mim,
nunca dentro de mim,
não fui feito para reter nada
nem para ter nada para mim
apenas para ir
e ir deixando meu rastro
em palavras e memórias perdidas

me tire tudo
terá que me deixar as palavras
me tire tudo
viverei apenas de palavras
me tire tudo
e não tirará nada
porque não pode me tirar as palavras
e o resto
nunca tive.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

bebendo palavras

Hoje eu não tenho uma taça de vinho,
mesmo estando frio,
me permiti um copo de limonada,
sem a delicadeza de uma bebida de status,
que gosto muito;
mas hoje estou simples
de palavras fáceis e sentimentos desconhecidos.
Não quero um banquete,
algo simples pra comer me basta
e satisfaz meus desejos quietos e calmos;
e recuso a robustez das imagens
e deixo quietas as figuras de linguagem
para só me alimentar de palavras,
bebê-las e deixá-las em mim
como se fossem um pedaço inevitável da minha história.
E me sacio em beber as palavras
e não há frio,
há histórias que vivem ao meu lado;
e não há solidão,
há onde as histórias viverem;
e não há medo,
há o seu sorriso,
e te dou minhas palavras.  

terça-feira, 12 de maio de 2015

Quando as palavras forem fracas
e não conseguirem vencer por amor,
e quando as verdades sucumbirem
a quem tem o poder de gritar mais alto,
e quando os desejos forem trucidados
nas morais insanas dos que julga sem conhecer,
deve ser hora de lutar,
de erguer-se da apatia
de se armar com palavras ainda mais fortes,
de calçar o medo sob os pés e
pisar nele para que leve-nos o mais longe que pudermos,
e nesta hora alguma verdade surgirá
e que não fique escondida
ou perdida sob os pés
dos que não ouvem as palavras,
mas que se jogue,
que enfrente a guerra
e que não mude de lado.
Quando a economia tentar sufocar
seu destino em meio ao manto de vida que te cerca
perceba que tudo que não precisa
é tudo o que tentam de vender,
e enganam sua vida
para alimentar um mercado
que apenas consome vidas
vende vidas
destrói vidas.
É hora de erguer-se,
de se armar com silêncio,
desobediência,
coragem,
e de capacitar a sua voz,
seja ela qual for,
a dizer o que deve e precisa ser dito,
mesmo que vá perder,
e irá,
o lado mais fraco sempre perde as batalhas,
e a covardia da hipocrisia sobre a moral e a verdade
possuem o poder de mídia,
a boca maior,
o grito mais alto;
tão alto que um dia passará
e os derrotados serão enfim a única história real.

Então é hora e lutar,
lute sem vencer ou perder,
apenas enfrente o impossível,
desafie o inatingível,
destrua o indestrutível,
arraste seus medos pra fora da batalha
e lute feito um verdadeiro louco
sem destino
e sem infernos pra ir morar,
podendo assim morrer
na derrota,
mas não morrendo no medo.
É hora de lutar,
e que a luta seja honrada
e que a honra seja lembrada
por séculos e séculos
depois que nossa voz se calar.
E restarão nossas palavras,
e restarão nossas verdades.
E tudo o que fizemos
e tudo o que perdemos
não morrerá ao nosso lado,
mas se perpetuará.

Lute.

Porque lutar é a forma mais justa de vencer.  

segunda-feira, 11 de maio de 2015

venha

Quando vier,
venha apenas com o que você é,
não traga histórias, verdades ou mentiras,
nem traga novas estradas ou novos amigos ou novos mundos
nem sonhos mirabolantes
traga apenas um sorriso
e nada mais será preciso criar.

Se vier,
não venha por algum motivo
ou desejo,
apenas venha e fique o quanto quiser
e vá quando for preciso,
mas nunca fique ou vá por mim,
apenas fique e talvez vá comigo.

Quando vier,
não seja quem eu espero que seja,
só chegue perto
nada mais é preciso
todas as coisas acabam porque simplesmente existem,
então que não exista nada,
apenas estejamos em qualquer lugar
e não haverá nada, e nada acabará.

Se vier,
não venha rápido,
fuja do tempo e demore mais do que ele
pra que nenhum momento aconteça antes de acabar,
e nunca acabe sem acontecer;
e que tudo venha
e que tudo passe
e que tudo permaneça lá
e não diremos nada eterno
apenas encostaremos as mãos algumas vezes
isso basta.

Então venha,
porque não sei receber você,
mas já estou aqui
e é só o que precisa para chegar
e se um dia eu for,
levarei seu cheiro grudado à poeira que os meus passos irão criar
e levarei as melhores memórias
de tudo o que não existe
e se vier,
siga a poeira
que podemos ir juntos
apenas guiados por memórias do que não existe
por palavras nunca ditas,
por histórias nunca contadas;
mas teremos sorrisos, mãos
e saberemos ir.

Quando vier,
feche os olhos e saiba chegar até mim
porque já estou indo,
e só tenho poeira e memória alimentada por nada,
falta uma mão
e o universo inteiro caberá nos meus passos.